Fisioterapia Aquática uma abordagem

Não confunda com hidroginástica. A Fisioterapia Aquática, além de reabilitar, ajuda no combate à ansiedade e ao estresse.

A Fisioterapia Aquática, além de reabilitar, ajuda no combate à ansiedade e ao estresse.

“Somente em 500 a.C., a civilização grega deixou de ver a água como um ponto místico e começou a usá-la para tratamento físico específico, observando a relação entre os benefícios para o corpo e a mente através dos banhos e recreação”.

Fisioterapia aquática, anteriormente chamada de hidroterapia, é uma modalidade terapêutica da fisioterapia que, através do uso externo da água, atua com propósitos terapêuticos. Os exercícios são realizados em piscina aquecida e orientados por um fisioterapeuta e as técnicas específicas utilizadas são associadas às propriedades físicas da água e aos efeitos do calor.
Historicamente, diversas culturas relacionavam o uso da água ao misticismo e às religiões. Somente em 500 a.C., a civilização grega deixou de ver a água como um ponto místico e começou a usá-la para tratamento físico específico, observando a relação entre os benefícios para o corpo e a mente através dos banhos e recreação. No Brasil, a hidroterapia científica teve seu início na Santa Casa do Rio de Janeiro, no ano de 1922, quando sua entrada principal era banhada pelo mar e os pacientes internados realizavam, tanto banhos salgados como doces com a água da cidade.

A fisioterapia aquática é indicada para toda a população (crianças, adultos ou idosos) como atividade de prevenção e promoção da saúde ou como componente do processo de reabilitação. Indivíduos com lesões esportivas, problemas ortopédicos, reumatológicos, neurológicos, respiratórios ou com alterações decorrentes do processo do envelhecimento, possuem indicação e podem se beneficiar com os exercícios terapêuticos na piscina.

Aquele que necessita do atendimento da fisioterapia aquática deverá ser submetido a uma avaliação global que é realizada dentro e fora da piscina, considerando que convivemos e realizamos nossas atividades diárias no ambiente terrestre. Nessa avaliação, as funções são testadas e estabelecidos os objetivos e plano de tratamento baseados nas necessidades individuais e nas queixas do paciente. Outro ponto importante da avaliação são as possíveis contraindicações para os exercícios na água. Casos específicos como infecções em geral, feridas abertas, dificuldades graves na respiração, estados febris, incontinência fecal ou urinária graves, dentre outros, podem contraindicar a realização dos exercícios na água.

“A fisioterapia aquática é indicada para toda a população (crianças, adultos ou idosos) como atividade de prevenção e promoção da saúde ou como componente do processo de reabilitação”.

“O atendimento na piscina permite uma abordagem global do indivíduo, promovendo uma melhora física e psicológica”.

O atendimento na piscina permite uma abordagem global do indivíduo, promovendo uma melhora física e psicológica. As atividades aquáticas são realizadas de forma criativa e despertam uma sensação de bem-estar, aumentando a autoconfiança. Pode ser realizada individualmente ou em grupos, possibilitando recreação e socialização enquanto se realiza.
A fisioterapia aquática possui técnicas específicas como a Hidrocinesioterapia, Watsu, Ai chi, Método dos Anéis de Bad Ragaz, Halliwick, Terapia Manual Subaquática, entre outras. As técnicas, associadas aos princípios físicos da água e aos efeitos do calor, proporcionam aos pacientes alívio da dor, relaxamento muscular, melhora da ansiedade, do estresse, da coordenação e do equilíbrio, aumento da amplitude do movimento e fortalecimento da musculatura. Dessa forma, o atendimento fisioterapêutico na piscina aquecida promove uma melhora do bem-estar e da qualidade de vida.
Vale ressaltar que a fisioterapia aquática difere da hidroginástica, pois tem como objetivo primordial trabalhar o condicionamento físico e é obrigatoriamente orientada por um profissional de educação física. *Indivíduos com alterações motoras que necessitam de atendimento individualizado ou que apresentam alguma dependência nas atividades e desejam participar de um programa de hidroginástica devem, antes, realizar a fisioterapia aquática.

Referências:

Efeitos fisiológicos e evidências científicas da eficácia da fisioterapia aquática.
Efeitos da hidroterapia na recuperação do equilíbrio e prevenção de quedas em idosas.

Igor de Matos Pinheiro / CREFITO 114.018-F
Graduado em Fisioterapia pela Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública Especialista em Reabilitação Neurofuncional

fonte:
http://www.isaudebahia.com.br/noticias/detalhe/noticia/fisioterapia-aquatica-uma-abordagem-global-em-busca-da-qualidade-de-vida/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *