Terapia Aquática e medo

Como terapeutas encontramos clientes que tencionam seus músculos e travam suas articulações.

Eles podem aparentar timidez ou apreensão. Para trabalhar com estes clientes precisamos entender um pouco de medo 

Como em uma dor física, o medo é um indicador de desequilíbrio na psique. Onde existe afastamento, onde a confiança foi perdida, há medo. É importante prestar atenção no medo porque ele distorce nossa relação com a vida, nos enfraquece, contrai nossa consciência e limita nosso amor.

O medo se torna mais poderoso do que nós, ameaçando nossa existência, é algo a ser evitado, uma sombra invisível que não ousamos contemplar. O medo pertence a uma parte de nós que ainda não está clara. Entretanto, chega o momento em que escolhemos contempla-lo para aprofundar e desintegra-lo na ilusão.

No padrão inconsciente de neurose, uma pessoa recria uma situação não resolvida do passado na esperança de cura. Esta luta neurótica é apenas simbólica, sem estar ciente dos sentimentos negados ao acesso da consciência, que se experimentado, devolveria a integridade. Na infância, nós trancamos com chave nosso ser. Nós somos um mistério para nós mesmos, apenas porque levantamos uma parede obscura e protetora ao redor de nossa vulnerabilidade. Ao invés de acordar e desguarnecer a parede, o neurótico sonâmbulo procura substituto. A realidade da dor psíquica, com sua capa de medo protetor, fica em apuros com a paralisante previsão de vício em seus milhares de roupagens. O vício levado pelo medo é o paliativo que mantém a catastrófica verdade em apuros. Mesmo assim, é a verdade que nos liberta

A alma deseja liberdade. Ela procura expansão, mas ao fazer isto deve enfrentar “apertos”. Este é o confronto com o eu. O que a alma procura, a personalidade humana pode se rebelar contra. Mesmo assim, o curandeiro interno sente que nossa salvação está no nosso terror, que o medo que imaginamos ter de baleias, alturas, monstros ou aranhas, para citar alguns exemplos, na realidade, oferece o caminho para uma consciência maior. O medo, portanto, representa a arma do crescimento. O guerreiro interno faz a escolha consciente de andar em direção ao que representa o medo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *